Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Publicado em 13/07/2016

Atualidades

Bianca Toledo fecha igreja que liderava com Felipe Heiderich

Associação Mundial de Evangelização e Ensino havia sido fundado há pouco mais de quatro meses



A cantora e missionária Bianca Toledo decidiu encerrar as atividades da igreja que ela liderava ao lado do ex-marido, pastor Felipe Heiderich e se defendeu das acusações de se expor de forma ampla.

O Ministério AME (Associação Mundial de Evangelização e Ensino) havia sido fundado há pouco mais de quatro meses, porque o pastor Felipe Heiderich sentia a necessidade de manter um templo para receber as pessoas.

“Assim que eu soube do ocorrido me reuni com os membros e encerrei a igreja”, afirmou Bianca Toledo, em entrevista ao jornal Extra. A cantora revelou ainda que seu ministério, ligado ao Kingdom Global Ministry, de Dallas, Texas (EUA), continua ativo. “Agir contra meu próprio marido exigiu de mim muita coragem. Não nego meu Deus por amor a ninguém”, acrescentou.

Os líderes do Kingdom Global Ministry suspenderam a associação de Felipe Heiderich para falar como pastor da instituição e enviaram uma carta a ele comunicando a decisão.

“Apresentei o Felipe aos meus líderes em Dallas, e respaldaram o ministério dele. Mas, imediatamente ao saber que tinha molestado o enteado, foi retirada a licença para atuar como ministro do Evangelho. Felipe dizia, para mim e para todos, que era ordenado há mais de dez anos. Ele era reconhecido no país todo como pastor, mas aqui no Brasil não fazia parte de nenhuma entidade”, afirmou Bianca Toledo.

Veja a carta enviada pelos líderes do Kingdom Global Ministry a Felipe, assinada pelo missionário Larry Titus:



Exposição

Bianca Toledo voltou a rebater as acusações de exposição demasiada de sua vida e sua família, e reiterou o que já havia dito antes sobre o assunto: “Para você que acha que é muita exposição a respeito da vida familiar, eu também acho. Se eu pudesse nada disso estaria vindo a público. Mas, por se tratar de um crime hediondo, inafiançável, ia virar púbico. E eu preferi que fosse a primeira a falar para vocês”, disse.

Pessoas próximas à família, segundo ela, sabiam dos detalhes do caso e sabiam de seu desejo de discrição, mas acabaram falando mais do que o necessário: “As poucas pessoas que sabiam tinham sido orientadas a não dar determinados detalhes que deram”, concluiu, em um vídeo publicado nas redes sociais.

O pastor Felipe Heiderich nega todas as acusações feitas pela ex-mulher. No último domingo, 10 de julho, ele foi solto por ordem da Justiça, e irá responder ao processo em liberdade.

noticias.gospelmais.com.br