Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Publicado em 21/11/2016

Atualidades

Número de mortos em acidente na Índia passa de 140

Equipes de emergência encontraram mais corpos dentro dos vagões. Autoridades calculam que mais de 2.000 pessoas estavam no trem.

Equipes de resgate buscam sobreviventes e corpos nos vagões do trem que descarrilou no domingo (20), em Kanpur Dehat, estado de Uttar Pradesh, no norte da Índia


O número de mortos no acidente de trem de domingo (20) no estado de Uttar Pradesh, no norte da Índia, subiu para 142, depois que as equipes de emergência encontraram mais corpos dentro dos vagões. As autoridades temem um aumento no neste número.

Os voluntários têm poucas esperanças de encontrar sobreviventes entre as ferragens dos 14 vagões do trem que descarrilou na madrugada de domingo no norte da Índia. A identificação dos corpos é difícil, porque muitos deles estão mutilados, de acordo com relato de fontes do governo à Agência France Presse. 

A polícia não divulgou o número de pessoas feridas no acidente. No domingo,  agências internacionais mencionavam 150.

As autoridades calculam que mais de 2.000 pessoas estavam no trem, mas como muitos passageiros viajam na Índia sem lugares reservados ou até mesmo sem passagens é impossível saber o número exato.


O trem expresso Patna-Indore saiu da linha férrea perto da cidade de Kanpur, no estado de Uttar Pradesh, às 3h (19h30 de Brasília, sábado), quando muitos passageiros estavam dormindo.

Uma multidão se reuniu nesta segunda-feira (21) diante do trem descarrilado, examinando objetos e roupas com a esperança de descobrir o destino de seus parentes. As causas ainda são investigadas.

A catástrofe aconteceu em plena temporada de casamentos no país e o trem transportava muitas famílias.

De acordo com os primeiros elementos da investigação, o descarrilamento pode ter sido provocado pela má conservação da via férrea.

A rede ferroviária indiana é, com 65 mil km, a quarta maior por extensão do mundo e transporta diariamente cerca de 23 milhões de passageiros. O sistema, principal meio de transporte do país, é antigo e considerado inseguro.

De acordo com um relatório do governo de 2012, quase 15 mil pessoas morrem a cada ano em acidentes ferroviários, o que foi chamado de "massacre" pelos autores do documento, segundo a Efe.

g1.globo.com