Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Publicado em 16/12/2016

Atualidades

Médicos cubanos chegam ao Brasil para repor vagas no Mais Médicos

Segundo o Ministério da Saúde, eles vão preencher espaço deixado por outros cubanos. Até fevereiro, mais 2 mil profissionais devem vir da ilha caribenha. Governo tenta aumentar participação de brasileiros.



Médicos cubanos contratados pelo Programa Mais Médicos para o triênio 2017-2019 chegaram, na tarde desta quinta-feira (15), à base aérea das Forças Armadas no Aeroporto Internacional de Brasília. A partir das 16h, eles partem para Fortaleza (CE), João Pessoa (PB) e São Luís (MA) e, de lá, para os municípios onde vão atuar pelos próximos três anos.

Pela manhã, seis aviões deixaram Brasília com cerca de 300 médicos, também destinados a cidades do Nordeste do país. Ao todo, este mês, 1.380 profissionais de Cuba vão repor vagas do Mais Médicos em 1.040 cidades do Brasil.

De acordo com o Ministério da Saúde, nesse momento do programa, os médicos cubanos chegam apenas para repor as vagas de outros profissionais do mesmo país, que já estão em fim de contrato. Com isso, não há aumento da mão de obra estrangeira atuando em solo brasileiro. Entre janeiro e fevereiro, mais cerca de 2 mil médicos de Cuba devem chegar ao país para novas reposições.

 

No total, o programa Mais Médicos conta com 18.200 médicos, entre cubanos, brasileiros e de outras nacionalidades. Eles trabalham em mais de 4.000 municípios e 30 distritos indígenas, segundo o ministério.

O secretário de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde, Rogério Abdalla, afirma que os médicos cubanos são "humanistas" em regiões que não têm assistência médica.

"Estive no Piauí, Alagoas, Brasil afora e vi a importância destes médicos. Quando você está, realmente, numa cidade onde não há recurso, a importância de médicos humanistas, de qualidade. Estamos muito bem servidos”, declarou.

Reformulação
Atualmente, o Brasil tem contrato firmado com 11,4 mil profissionais de saúde cubanos, em acordo intermediado pela Organização Pan-Americana de Saúde (Opas). Até 2018, o governo federal espera reduzir esse número para 7,4 mil. Segundo o ministério, a ideia é “ampliar oportunidades” para que os médicos brasileiros entrem no programa.

Em novembro, a pasta lançou edital com cerca de mil vagas exclusivas para médicos brasileiros, distribuídas em 462 municípios. As inscrições começam em 19 de janeiro. Até esta quinta (15), o Mais Médicos incluía 5,2 mil brasileiros.    

http://g1.globo.com/