Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Publicado em 20/07/2016

Artigos

Unidade conjugal



O casamento não é um contrato para tornar aceitáveis as relações sexuais. Não é simplesmente uma instituição social para prover o cuidado aos filhos. É mais do que uma clínica psicológica na qual obtemos o apoio emocional de que precisamos. É mais do que um meio de alcançar posição social ou segurança econômica.

O propósito supremo do casamento não é alcançado nem mesmo quando ele é um veículo para o amor e o companheirismo, por mais valiosos que sejam. A meta suprema do casamento é a união de dois indivíduos no nível mais profundo possível e em todas as áreas, o que, por sua vez, proporciona o maior sentimento de realização ao casal e, ao mesmo tempo, serve melhor aos propósitos de Deus para a vida deles.

Construir intimidade plena com Deus é o objetivo maior da unidade conjugal, é uma meta altruísta, uma causa para o bem comum. A unidade conjugal dá sustentação e força às orações para cumprir os propósitos de Deus no casamento. Unidade conjugal é um mandamento (Ef 4.1-3; Jo 17.11-21-23). Unidade conjugal é uma necessidade (Ecl 4.9-12). A lei que rege a unidade conjugal é a misericórdia cheia da graça.

O objetivo maior da unidade conjugal é obter comunhão plena com Deus. É impossível ter comunhão com Deus se não houver afinidades com o próximo. Comunhão com Deus é um processo individual, no qual questões pessoais são tratadas de forma muito subjetivas pelo Espírito Santo no coração de cada pessoa. Quando resolvemos compartilhar nossa vida com outra pessoa pelos laços do matrimônio, isso implica construir um relacionamento íntimo com o cônjuge e ambos com Deus.

Deus vai usar seu cônjuge para conduzi-lo a uma mudança.

Você tem uma pessoa ao seu lado que é o seu complemento. No exercício da unidade, as divergências e diversidades (que fazem parte do processo da construção da unidade) vão fazer você avaliar melhor suas teses de construção familiar e, ao final, por meio de um acordo, os dois poderão tomar a decisão certa.

Qualquer que seja a ideia, não deve ser feito do jeito do marido, nem do jeito da esposa e nem do jeito dos filhos. Deve ser do jeito de Deus.

Você não pode ser bem-sucedido sem seu cônjuge.

Lembrem-se, vocês são uma equipe. O sucesso de um é o sucesso do outro. Não pode haver disputas entre vocês. A parceria é fundamental para construir a sociedade conjugal. Procurem viver num ritmo harmonioso de afinidades. Afinal, a harmonia de uma música depende da afinação do instrumento.

Você será tentado a desistir de construir a unidade conjugal de uma só carne.

A Palavra de Deus afirma: “Andarão dois juntos se não houver acordo?” (Amós 3.2). O inimigo sabe que a única maneira de destruir o seu casamento é destruir a unidade que nele há. Portanto, vigie e saiba que maior é aquele que uniu do que aquele que trabalha para desunir (I Pe 5.8). Todo dia é dia de construção da unidade conjugal de uma só carne. Comece de manhã, sabendo que há uma vitória a ser conquistada durante o dia. Construir a unidade conjugal de uma só carne é difícil e irritante. 

Temos dificuldades diárias referentes a nós mesmos. Assumir uma postura de viver para Cristo não é algo tão fácil como se pensa, imagine dividir a vida com outra pessoa, aprender a servir, ser paciente, amar, exercer domínio sobre o temperamento etc. Construir unidade no relacionamento é casar com a mesma pessoa todos os dias; é decidir não desistir do relacionamento, nem pensar na ideia de uma separação. A unidade conjugal o fará compreender o mistério de ser “Uma só carne” com seu cônjuge.

É claro que só o fato de casar não garante a unidade de um casal. Há uma diferença entre "os dois serem unidos" e "os dois serem um". O melhor exemplo bíblico deste tipo de unidade talvez seja o próprio Deus. É interessante frisar Gênesis 2.24, em que Deus diz: "Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne". Em nossa era individualista, "unidade de uma só carne" não é um conceito dos mais cultivados.

Todavia, a unidade “uma só carne” não erradica a personalidade. Pelo contrário, ela liberta as pessoas para expressarem sua própria diversidade e, ao mesmo tempo, experimentarem completa unidade com seu cônjuge. Você é livre para ser tudo o que Deus pretende que seja. Mesmo experimentando tudo o que Deus pretendeu quando uniu você no casamento ao lado de seu esposo. Nenhuma verdade poderia ser mais libertadora e satisfatória.

A Escola Conjugal tem essa proposta, ajudar o casal, homem e mulher casados, a construir uma sociedade conjugal; uma equipe de “uma só carne”.

Pedro Luiz Almeida

Coordenador Nacional de Casais: http://minacq.com.br/