Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Publicado em 26/07/2016

Atualidades

PM tem 84 áreas de ataques a agentes e civis mapeadas no RJ

Vinte e oito policiais foram mortos de folga de janeiro a junho no Estado


Os setores de inteligência da PM de diversos batalhões mapearam 84 áreas com maior concentração de latrocínios contra policiais militares de folga e civis. No acumulado entre janeiro e junho de 2016, foram 28 policiais mortos de folga em latrocínios (roubo seguido de morte), no Rio, contra 23 no mesmo período em 2015. (relembre homenagem do RJTV no vídeo abaixo).

Com base no levantamento, a PM elegeu locais para operações toda semana. 


De acordo com a Polícia Militar, os batalhões mais utilizados para a operação Deslocamento Seguro, que teve início no dia 7 de julho, são o 3º BPM (Méier), 6º BPM (Tijuca), 7º BPM (São Gonçalo), 14º BPM (Bangu), 15º (Duque de Caxias), 20º BPM (Nova Iguaçu), 40º BPM (Campo Grande) e o 41º BPM (Irajá). (Confira no final da matéria alguns dos locais mapeados).


A operação, que envolve abordagem e revista de veículos para verificar e prender suspeitos de crimes contra policiais e civis, se estende ainda a outros municípios do interior do Rio, como Angra dos Reis e Campos dos Goytacazes.


"Definimos essas áreas devido à maior incidência de crimes de latrocínio contra policiais e também civis, mas a prioridade é com relação à vitimização dos nossos policiais. Se morresse apenas um, já seria lamentável", disse o coronel Oderlei dos Santos, chefe da Comunicação Social da PM. Segundo ele, a operação foi determinada pelo comandante geral, e que cada comandante de batalhão é responsável pela sua área de policiamento.


Segundo Oderlei, as operações são realizadas em dias e locais estrategicamente variados, principalmente de quinta a domingo, entre 18h e meia noite. "Não estamos necessariamente nos mesmos locais todos os dias. E se notamos algum erro, por exemplo, corrigimos isso para a semana seguinte", explicou ele. 


"Na Rua Barão do Bom Retiro, por exemplo, fizemos mudanças no patrulhamento depois de um final de semana onde houve um crime na região e conseguimos diminuir o número de ocorrências", disse ele.

Crescimento da violência
Segundo Oderlei, o número de ocorrências diminuiu entre janeiro e abril. A partir de maio, no entanto, as estatísticas mostraram um recrudescimento da violência em todo o estado, incluindo a vitimização de policiais em horário de folga.

"Não é possível fazer uma leitura linear a respeito. Há crise, desemprego, determinados bandidos conseguiram a liberdade, entre outros problemas. Temos que tomar decisões baseadas não apenas nos números do ano anterior, mas também no passado recente, e fizemos isso a partir de julho", afirma.

Além das abordagens, operações policiais em possíveis esconderijos de criminosos também estão sendo realizadas em diversos locais, como no caso ocorrido no último sábado (16), na LIinha Vermelha, na altura das comunidades Ficap, Prainha e Furquim Mendes. "A Polícia Militar é de policiamento ostensivo.

Beltrame comenta
Em visita à Alerj no início de julho, o secretário de Segurança José Mariano Beltrame comentou sobre os policiais mortos em 2016. Eram 60 até o dia 11 de julho.  Segundo a CPI de Policiais Mortos da Alerj, até o dia 22 de julho,o número havia sido atualizado para 61.

http://g1.globo.com/

Henrique Coelho